Comédia - -
O CÉU SE ENGANOU
Emile Ardolino
O CÉU SE ENGANOU
O CÉU SE ENGANOU
(CHANCES ARE)

EUA, 1989. Direção de Emile Ardolino. Roteiro de
Perry Howze e Randy Howze. Com Cybill Shepherd,
Robert Downey Jr., Ryan O’Neal, Mary Stuart Masterson,
Christopher Mc Donald, Josef Sommer. Tri-Star
Pictures, colorido, 1h48, LK-Tel Vídeo.

Drama envolvente, bem conduzido pelo famoso diretor de Ritmo Quente e de Três Solteirões e uma Pequena Dama. Baseado na teoria reencarnacionista, provavelmente seu roteiro foi inspirado no excelente filme (e livro) A Reencarnação de Peter Pround (EUA, 1974).
O jovem advogado Louie (C. MacDonald), residente em Washington, EUA, é atropelado mortalmente numa das ruas de sua cidade e deixa viúva, Corinne (Cybill Shepherd, que se destacou no seriado A Gata e o Rato), recentemente grávida. Ao chegar no Além, descobre que morreu e não se conformando com a separação da esposa, pede, desesperado, para voltar à Terra o mais rápido possível. Sua reencarnação é providenciada com urgência e, em face da pressa, o funcionário Omar esquece de aplicar-lhe a fantasiosa vacina do esquecimento...
Então., Louie reencarna normalmente, nascendo em Cleveland com o nome de Alex (Robert Downey Jr.). Vinte e dois anos depois, ele apaixona-se pela jovem Miranda (Mary S. Masterson), filha de Corinne (e de Louie).
Já freqüentando a casa da namorada, Alex começa a rememorar, em flashes, cenas de sua vida anterior. E, após algumas recomendações, não tem mais dúvida de que é Louie reencarnado!
A partir daí tudo se complica, mostrando-nos que o esquecimento de vidas anteriores, na atual existência, de fato, é uma grande bênção para todos nós. Mas, em face da grande problemática formada, o Além providencia uma solução e Omar desce à Terra, materializado, para corrigir seu erro e, como perfeito agênere, entra no hospital onde Alex encontrava-se hospitalizado e lhe aplica a vacina salvadora, apagando-lhe a memória da vida anterior. E tudo se resolve num final coerente e feliz...
A lembrança nítida de fatos de vida anterior, em adultos, como o filme nos mostra, é possível, mas muito raro.
As interessantes experiências, neste particular, vividas pelo saudoso companheiro Wallace Leal Valentim Rodrigues (1924-1988), já sendo adulto, quando, espontaneamente, recordava de cenas de sua última encarnação, na França, como escritora famosa, foi confirmada pelo médium Chico Xavier, que lhe disse certa feita: “ – Wallace, você é um caso de gaveta mal fechada.”
Na obra de Clovis Tavares, Amor e Sabedoria de Emmanuel (IDE, 7ª ed., 1987, p. 131-136) Wallace descreve, além das rememorações pessoais, uma cena de seu passado, na Antiga Roma, à época de Júlio César, revelada por Emmanuel a Chico Xavier. Em certo momento, ao narrar suas próprias lembranças, Wallace exclama: “Deus do céu! Eu posso lembrar. O passado, de cem anos, é ontem para mim!”
Hércio M C Arantes
+Info: